Passeio para Johnny Cay em San Andrés

Johnny Cay San Andrés

Johnny Cay

Johnny Cay é um dos principais passeios em San Andrés e um dos lugares mais lindos que já visitei, a cor da água nessa pequena ilha é surreal!

A pequena ilha é bem próxima da praia principal no centro de San Andrés (Spratt Bight/ Peatonal), é até possível avistar a ilha de Johnny Cay ao fundo quando estamos nessa praia. Eu visitei a ilha em dois dias, em ambos fiz o passeio que ficava o dia todo lá. Minha viagem para San Andrés foi no final de março de 2017 e todos os valores em pesos colombianos e reais são dessa data. Além disso, os valores em reais estão arredondados.

Johnny Cay San Andrés

Johnny Cay ao fundo

Não se preocupe, a praia do centro de San Andrés é bem mais bonita que a foto acima, tirei essa foto em uma outra parte menos bonita da praia.

Como chegar em Johnny Cay?

O trajeto até lá é super rápido, menos de 15 minutos de barco e existem 2 tipos de passeios para visitar a ilha : Johnny Cay ou Acuario + Johnny Cay. Apesar de alguns pessoas acharem que é vantagem fazer os dois passeios juntos para economizar tempo e dinheiro, resolvi seguir a dica de outro blog de viagem e fazer cada um dos lugares em dias separados e definitivamente foi a melhor decisão. Fazer os dois no mesmo dia é muito corrido e não da nem para ver tudo com calma, muito menos ter tempo para relaxar.

Horário do passeio: Saídas geralmente as 09:15 e retorno as 13:30 ou 15:30.

Quanto custa conhecer Johnny Cay? 

Johnny Cay San Andrés

Os únicos custos obrigatórios para conhecer ilha são o passeio até lá e a entrada. Os outros custos com almoço, drinks e aluguel de cadeira com barraca/guarda-sol são opcionais.

Passeio de barco: Johnny Cay: 15.000 COP (R$ 18,00) ou Johnny Cay + Acuario: 20.000 COP (R$ 24,00). Esses preços são da Cooperativa, acho que é a opção mais barata. Mas outras empresas também ficam mais ou menos nessa faixa de preço ou até no mesmo preço.
Entrada Johnny Cay: 5.000 COP (R$ 6,00)
Aluguel de cadeira com barraca/guarda-sol: Em torno de 25.000 COP com cadeira (R$ 30) ou 35.000 COP com espreguiçadeira (R$ 42,00)
Almoço: Em torno de 25.000 COP (R$ 30,00), mas se não quiser comer lá vale a pena levar uns lanchinhos
Drinks: Em torno de 12.000 COP (R$14,00)

Qual é a melhor empresa para fazer o passeio de barco? Eu segui a dica de outro blog de viagens e as duas vezes que fui para Johnny Cay foi com a Cooperativa. Eles tem uma casinha amarela na beira da praia principal de San Andrés (Spratt Bight/ Peatonal) que é no centro, então é bem fácil de achar. É só chegar ali na hora, comprar o ticket e aguardar o barco do próximo horário sair.

Johnny Cay San Andrés

Achei muito melhor do que ir com aquelas outras agências que ficam oferecendo passeio, pois é mais barato, organizado, prático, rápido e com menos muvuca. Sem falar que o barco já sai ali da praia principal, o que é muito bom.

Só tive uma experiência com agência em San Andrés, em um dos dias que fui para o Acuário e foi um saco! O barco não saia da praia principal (acho que talvez a maioria não sai) e sim lá perto do restaurante La Regatta. Então tivemos que caminhar até lá e ficar mofando esperando todo mundo que iria no passeio chegar, então já atrasou para sair. Depois na volta toda teve toda essa enrolação de novo. Na maioria das vezes tento evitar essas coisas em grupo, porque me estresso muito com a demora, entre outras coisas. Então sempre prefiro a opção mais independente possível, em que eu possa fazer as coisas no meu ritmo.

Vale a pena comprar o passeio antes de sair do Brasil? Não acho que vale a pena comprar antes de sair do Brasil, lá tem muitas opções e é bem fácil de comprar, então vejo nenhum necessidade de agendar o passeio antes de chegar lá. Além disso, comprando lá provavelmente você vai pagar mais barato.

 Minha experiência em Johnny Cay

Nos dois dias que fiz o passeio para Johnny Cay fui com a cooperativa e o trajeto até lá é super rápido e bem tranquilo, demorou menos de 15 minutos. Logo que o barco chega já é cobrado o valor da entrada de 5.000 COP (R$ 6,00)  por uma pessoa.

Johnny Cay San Andrés

Quando começamos a nos aproximar da ilha já começa aquele azul lindo na cor do mar. Só fui conseguir ver todas as fotos da viagem agora fazendo o post e até me surpreendi quando vi as fotos abaixo, o que é essa cor azul do mar absurda?! Chegar a parece algum efeito,  mas não tem filtro nenhum em nenhuma das fotos que eu posto aqui. E claro, pessoalmente é mais bonito ainda!

Johnny Cay San Andrés

Então já me apaixonei por Johnny Cay na chegada, a cor da água era incrível e a areia super clara, lindo demais!  Além disso, a temperatura da água é bem agradável, não é fria! Como comentei no post de San Andrés, ando em uma fase de praia e visitei nos últimos 2 anos muitos lugares lindos, como Arraial do Cabo, Búzios, Aruba, Curação, Ibiza, Formentera e Croácia. E sério, a cor da água em Johnny Cay é uma das mais lindas que já vi, deixa no chinelo muitos lugares mais conhecidos por aí!

E antes de decidir ir para Colômbia minha maior dúvida era se as praias eram bonitas mesmo, porque via tanta foto que não parecia ser nada demais os lugares, mas chegando lá vi que na verdade era muito melhor do que eu podia esperar!

Johnny Cay San Andrés

Mas como nem tudo pode ser perfeito, a quantidade de passeios que visitam a ilha todo dia é absurda, parece que não para de chegar gente nunca. E apesar de eu achar o lugar lindo demais, também foi um dos lugares mais lotados que já visitei até hoje e fiquei muito frustrada com isso, mesmo já sabendo que iria ser assim antes de ir. Então minha relação com Johnny Cay é de amor e ódio, amando a beleza, mas odiando muito a muvuca do excesso de turistas.

Johnny Cay San Andrés

E não é apenas super irritante ter que ficar competindo por espaço com centenas de pessoas, mas também é um pouco preocupante na verdade. Em San Andrés eles não parecem ter muita preocupação com a preservação ambiental dos lugares, enfiam o máximo de turistas em cada lugar sem ter nenhuma limitação. Até fiquei preocupada que daqui alguns anos esses lugares vão estar destruídos se não começarem a dar mais atenção para isso.

Felizmente para Cayo Bolivar já começaram a organizar novas regras para garantir a preservação ambiental, o lado ruim é por isso eu não pude visitar o lugar porque estava fechado até serem definidas as novas regras. Claro que acho ruim a possibilidade de aumentar o preço dos passeios para reduzir os visitantes ou até mesmo limitar o número de visitantes por dia. Mas também acho que como o número de turistas que visita a ilha parece só aumentar cada vez mais, a situação lá vai acabar ficando um pouco fora de controle se não colocaram alguns limites.

PRIMEIRO DIA

No nosso primeiro dia não conseguimos chegar no horário mais cedo possível então quando chegamos a ilha já estava absolutamente lotada e não tivemos  muita opção de onde ficar. Eu queria muito ficar na parte que nos descemos que era mais bonita, mas não tinha mais barraca para alugar ali, então ficamos nesse outro lado da foto abaixo. Eu geralmente não sou de alugar cadeira e guarda-sol, mas lá foi muito crítico alugar, porque é um calor que nunca senti na vida. Lá é tão quente que mesmo embaixo do guarda-sol parecia que a gente estava torrando o tempo inteiro, só entrar na água aliviava.

Johnny Cay San Andrés

Nós demos muita sorte de achar um guarda-sol com cadeira para alugar no meio da multidão, mesmo sendo do lado que eu não queria ficar. Não achei essa lado tão bonito porque tinha algumas partes do mar com pedras, mas por outro lado essa parte era melhor para fazer snorkeling.

Johnny Cay San Andrés

Já aproveitamos para fazer snorkeling nesse primeiro dia, mas não crie muitas expectativas, porque mesmo tendo vários peixes, não é tão interessante quanto fazer snorkeling em outros lugares da ilha. Indo mais para o fundo eu já não dava pé e eu não sei nadar muito bem, mas mesmo tendo medinho, em lugares lotados assim já me sinto mais segura para tentar ir mais longe. Se tudo der errado pelo menos sempre vai ter alguém para me salvar haha. O bom é que como tinham algumas pedras pelo caminho dava para subir em cima e pegar um fôlego já, e também tirar umas fotinhos é claro haha.

Johnny Cay San Andrés

Depois mais perto da hora de ir embora ficamos na parte mais bonita, do lado onde saem os barcos esperando a hora de ir embora e deixamos nossas coisas na beira da praia,  na areia mesmo em cima da canga, e claro ficamos de olho, vai saber né haha. Essa parte é muito mais bonita e as fotos lá ficam super boas.

Johnny Cay San Andrés

Johnny Cay San Andrés

Johnny Cay San Andrés

SEGUNDO DIA

No nosso segundo dia lá conseguimos chegar mais cedo e fomos um dos primeiros barcos a chegar, junto com apenas um outro. A ilha vazia é  mais linda ainda, vale muito a pena chegar super cedo! Mas mesmo sendo os primeiros já foi aquela correria, porque a multidão já desce enlouquecida, largando as coisas nas cadeiras e já entrando no mar.

Johnny Cay San Andrés

Mas eu já fui preparada nessa segunda vez, já sabia o lugar onde queria conseguir alugar uma cadeira e já desci do barco correndo em direção as cadeiras. Mas não fui só eu, tinha gente até com criança no colo já pulando do barco antes mesmo de parar direito para pegar lugar hahaha. Não consegui pegar lugar o perfeito que eu queria, mas como fomos rápidos conseguimos pegar um lugar bom pelo menos, umas duas cadeiras depois. A barraca que alugamos é a da foto abaixo, mas pedimos para trocar as cadeiras por espreguiçadeiras para poder deitar.

Preço da barraca com cadeira: 25.000 COP Preço com espreguiçadeira: 35.000 COP

Johnny Cay San Andrés

Como a ilha lota muito rápido se a pessoa esta indo na primeira vez de bobeira e quer dar uma volta antes de escolher o lugar, já corre o risco de ficar sem nenhum se chegarem mais passeios. Então já reserve uma barraca ou guarda-sol assim que chegar!

Quer fugir dos centenas de figurantes nas fotos? Tente ir cedo e tire fotos logo na chegada

Nesse segundo dia logo depois de reservar nossa cadeira já fui correndo para o mar  tirar o máximo de fotos que fosse possível sem ninguém no fundo, mas tivemos muito pouco tempo. As pessoas já chegam se jogando no mar, deitando na beira da praia e em questão de minutos já vão ter dezenas de figurantes no mar no fundo das fotos haha.

Johnny Cay San Andrés

Além disso, o bom também de já tirar as fotos na chegada é que a gente ainda estava um pouco dignos, de roupa, com o cabelo seco e a pele limpinha. Depois da sessão de fotos já viramos uns lixinhos, começamos a entrar no mar, corpo cheio de protetor e suor, cabelo um caos hahaha Eu continuo tirando várias fotos ao longo do dia claro, mas dai já é aquela desgraceira né, mil figurantes para todos os lados e eu já estou toda errada haha

Johnny Cay San Andrés

Expectativa x Realidade

Claro que as fotos que encontramos nos blogs e nas redes sociais algumas vezes não são bem a realidade e no meu caso também não é diferente. Usando algumas táticas para tentar tirar fotos mais paradisíacas sem centenas de turistas fazendo figuração até conseguimos algumas fotos sem muvuca e com mar absolutamente perfeito, mas nesse caso infelizmente essa não é a realidade do lugar. Então acho muito válido sempre colocar algumas fotinhos mostrando um pouco de como é a realidade também, para evitar aquela decepção do expectativa x realidade quando chegamos em alguns destinos.

Expectativa

Johnny Cay San Andrés

Realidade

Johnny Cay San Andrés

Como fugir da multidão de turistas em San Andrés? Na verdade essa dica que tinha lido em outro blog de visitar Johnny Cay e o Acuario em dias separados também era para fugir da multidão de turistas, porque de manhã a maioria dos passeios estaria no Acuario, então daria para aproveitar Johnny Cay vazia e a tarde o Acuario vazio. Achei que com essa estratégia ia escapar da muvuca de turistas, mas infelizmente não funcionou 🙁 Não sei se era a época que estive lá ou se aumentou mais ainda a quantidade de turistas/passeios desde que a pessoa que deu essa dica foi. Mas enfim, não tinha escapatória quando eu fui, era desde o primeiro horário da manhã gente chegando o tempo todo em Johnny Cay e ficou lotado o dia inteiro.

Johnny Cay San Andrés

Então infelizmente a única dica que eu posso dar é tentar chegar o mais cedo possível, para pelo menos conseguir alugar barraca e cadeira em um bom lugar e conseguir tirar umas fotos mais bonitas sem mil figurantes no fundo. Quem chega mais tarde muitas vezes não consegue nem barraca nem guarda-sol para alugar e o sol lá é muito cruel.

É lotado o ano todo? Apesar de estar super lotado quando eu fui, não sei se é assim o ano todo, mas a impressão que eu tive lendo alguns blogs antes de ir era que sempre estava uma muvuca lá. Mas recebi um comentário de alguém que foi em abril e disse que não estava tão lotado, mas claro cada um tem um conceito de lotado também, não tenho como saber se foi tão mais tranquilo assim.

Johnny Cay San Andrés

Mas de qualquer maneira eu sempre priorizo visitar os lugares nas melhores épocas, mesmo tendo mais turistas ou sendo supostamente mais caro. Porque acho que qualquer coisa é melhor que pegar chuva, mar agitado e etc indo em épocas com menos garantia de tempo bom. Além disso, decido meus destinos de férias de acordo com a época que vou poder viajar, se não é uma época boa para ir para determinado destino, já nem considero. Claro que tem gente que vai em épocas supostamente ruins e pega tempo bom, tudo perfeito e etc, mas eu prefiro não arriscar, então é um decisão muito pessoal.

Almoço em Johnny Cay

Na ilha existem diversos bares e restaurantes para comer, mas tudo bem simples e sem muita variedade. Olhei em quase todos os lugares e as opções de almoço eram quase todas com peixe e frutos do mar.

Johnny Cay San Andrés

Johnny Cay San Andrés

Já que não tinha muito opção no dia que comemos lá acabamos pedindo peixe mesmo, sempre via aquelas fotos na internet dos almoços com aqueles peixes inteiros com cabeça e tudo e tinha pavor só de me imagina tendo que comer aquilo haha Mas no fim achamos um lugar que era com filé de peixe e foi tranquilo. Também vinha batata frita, arroz de coco e um pouco de salada. Pagamos 25.000 COP (R$30,00) por pessoa e esse valor já incluía um refrigerante ou outra bebida.

Johnny Cay San Andrés

Estava bom até, mas no outro dia que fomos em Johnny Cay preferimos não almoçar lá, então tomamos um café da manhã no Juan Valdez perto da cooperativa antes de ir e depois comemos algo na volta do passeio. Também levamos água e é uma boa também levar uns lanchinhos, como pringles, que tem para vender em todo lugar em San Andrés.

Volta a ilha

Em um dos dias que estivemos lá a tarde fomos dar uma volta na ilha, como é bem pequena não demora muito tempo para dar a volta inteira. Ao lado do lugar onde ficamos indo para esquerda tinha uma parte da praia mais vazia, mas onde o mar era menos bonito porque tinha algumas pedras.

Johnny Cay San Andrés

Depois da área onde são os restaurantes tinha muitos coqueiros e algumas partes com sombra, o que até foi um alívio do calor absurdo da beira da praia.

Johnny Cay San Andrés

Perto dos matos era possível encontrar alguns lagartos bem grandes até, vimos várias pessoas na volta de um, mas não nos interessamos tanto e acabei ficando com preguiça de ficar indo atrás para a ver os lagartos. Depois da minha viagem para Aruba e Curação, que também vou postar aqui no blog nos próximos meses, fiquei satisfeita de lagartos haha. Mas para quem tem interesse pode ser bem legal.

Johnny Cay San Andrés

Depois de passar por essa parte chegamos no outro lado da praia da ilha, que é bem mais vazio. Tinha algumas pessoas fazendo snorkeling por ali, mas não chegamos a fazer.

Johnny Cay San Andrés

Johnny Cay San Andrés

Esse outro lado da ilha é bonito também para dar uma volta, só é meio chatinho de caminhar por causa das pedras.

Johnny Cay San Andrés

Johnny Cay San Andrés

Johnny Cay San Andrés

Johnny Cay San Andrés

Depois de um tempinho caminhando já quase chegamos na parte principal da ilha novamente.

Johnny Cay San Andrés

Johnny Cay San Andrés

Voltando para o nosso lugarzinho favorito tomamos alguns drinks, como é barato comparado a alguns outros destinos, em torno de 12.000 COP (R$14,00), não precisei ser tão mão de vaca que nem sou geralmente haha. Nós tomamos algumas vezes o Coco Loco ao longo da viagem pela Colômbia, mas não gostamos muito, então muitas vezes também pedia Piña Colada, que adoro!

Johnny Cay San Andrés

Johnny Cay San Andrés

Mesmo os drinks lá não sendo os melhores da vida, a maioria  é servida no coco, o que já da aquele charme para tirar umas fotos legais também. Afinal, quem nunca quis tirar uma fotinho fake casual tomando um drink no coco em uma praia paradisíaca?! haha Ok, talvez nem todo mundo quer tirar uma foto assim, mas eu adoro, tirei em todos lugares que fui na Colômbia, depois vou fazer até uma comparação para ver qual era a praia mais paradisíaca.

Johnny Cay San Andrés

Água cristalina até demais: A água lá é tão cristalina que quase bebi por engano em um dos dias achando que era água mineral haha Colocamos água do mar em uma garrafa para lavar os pés e confundi com a nossa garrafa de água mineral, porque era absolutamente igual, não tomei por pouco haha

Arraias: Um dos dias que estávamos lá vimos uma arraia passando casualmente no mar, bem perto da beira da praia. Algumas pessoas fugiram, outras foram atrás da arraia, mas logo ela já sumiu, nem deu tempo de tirar foto.

GoPro 5 Black: A melhor coisa que eu fiz foi comprar uma GoPro5 antes de ir, porque pudemos tirar muitas fotos dentro da água sem se preocupar porque a câmera é a prova d’água, nem precisa de nenhuma proteção. Sem falar que as fotos ficaram mil vezes melhores que as tiramos em outras viagens com praia! Até fiz um post falando sobre as principais vantagens e desvantagens da câmera para viagens e com o link do vendedor que comprei no mercado livre: GoPro 5 Black para viagens, vale a pena?

Johnny Cay San Andrés

Claro que ainda tem como melhorar muito as fotos de viagem, comprar uns acessórios e até uma câmera mais profissional quando der, mas a GoPro 5 Black já foi uma melhoria enorme nas fotos que tiramos viajando!

Não deixe de conferir também o post completo sobre San Andrés, com todas as informações necessárias para planejar uma viagem para lá, além de todos os gastos que tive em 7 dias na ilha detalhados:  San Andrés: Quanto custa, como chegar, o que fazer e muito mais!

Se você tem mais alguma dúvida, sugestão ou apenas gostou do post, deixe seus comentários abaixo! Para receber mais dicas de viagem ou um aviso quando os próximos forem liberados curta a página do blog no Facebook ou se cadastre para receber os posts por e-mail. Para fotos de viagem siga nosso perfil no Instagram: planejando.viagens.

16 comentários sobre “Passeio para Johnny Cay em San Andrés

  1. Sarah disse:

    Olá Camila!! Obrigada pelo seu relato, é um dos mais detalhados que achei até agora. Li vários relatos do pessoal falando que a descida/subida nos barcos é bastante turbulenta nesse passeio, que as pessoas são jogadas no barco e corre-se o risco de se machucar, você passou/presenciou isso alguma vez na ilha?? Outra coisa, você se lembra o nome desse restaurante?? Obrigada!

    • Camila Trindade disse:

      Oi Sara, obrigada! 🙂 Infelizmente não lembro o nome do restaurante, era um dos primeiros bem na ponta, mas na verdade todos pareciam ser praticamente a mesma coisa, só fiz questão de achar algum que tivesse o filé de peixe ao invés do peixe inteiro com cabeça e tudo. Quanto a descida/subida achei super tranquila, acho que acabei de te responder em outro post, mas de qualquer maneira respondi por aqui novamente caso alguém mais tenha a mesma dúvida: Quando eu fui em março o mar estava super calmo, praticamente nem tinha ondas,então o trajeto foi super tranquilo! Acho que talvez depende da época que cada um vai, muita gente vai na época de chuvas e acaba pegando tempo ruim e provavelmente o mar mais agitado. Para subir e descer do barco também foi tranquilo porque o barco não era nem um pouco alto e as pessoas acabavam se ajudando. Quando a muvuca, realmente é muita gente e vários barcos saindo ao mesmo tempo, acho que vai depender da agência que você escolher. Eu fui com a Cooperativa e o pessoal do barco estava identificado com uma roupa amarela bem chamativa, então era bem fácil de achar e eles tinham vários barcos saindo e era possível entrar em qualquer um deles para voltar.

  2. Filipe Ponce disse:

    Parabens pelo site, otimo mesmo, riqueza de detalhes incriveis, não conhecia a vou passar a seguir de agora em diante.

  3. debora disse:

    Olá! Seu blog é incrivel, estou planejanando uma viagem com as amigas e estamos nos inspirando no seu blog.

    Uma duvida: quando voces mergulhavam, voces deixavam suas coisas na praia sozinhas? Acredito que voces levavam apenas o basico, dinheiro, agua, toalha e a go pro Rs

    Como foi essa parte?

    • Camila Trindade disse:

      Oi Debora, muito obrigada, que bom que gostaram do blog! 🙂 Levamos uma mochila com o básico que usávamos durante o dia, o item que era de maior valor era a Gopro e muitas vezes levamos ela para água junto, dinheiro levamos só o mínimo que iriamos usar lá mesmo, o que mais nos preocupava eram os celulares dentro da mochila. Em Johnny Cay quando entramos na água deixamos a mochila na cadeira bem na beira da praia, onde conseguíamos ver mesmo de dentro do mar, então sempre ficávamos cuidando e dando umas olhadas, mesmo durante o snorkeling, bem paranóicos haha. No Acuario e em Rocky Cay alugamos um locker para deixar as coisas, em Johnny Cay não lembro se tinha essa opção. Não sei se tem tanto risco de alguém roubar alguma coisa, pois Jonnhy Cay é uma mini ilha e não tem muito para onde fugir. Mas é sempre bom ficar de olho nas coisas e deixar onde você possa ver, acho que o risco lá é baixo, mas não vale a pena dar bobeira. O único caso de roubo de turistas que ouvi falar em San Andrés foi na beira da praia principal (Spratt Bight), que pegaram as coisas que um turista deixou na areia, mas essa noticia saiu até no jornal lá então acho que não deve ser tão comum de acontecer.

  4. samantha cacciatori disse:

    Olá Camila!!! Adorei seu blog e tudo que escreveu, me ajudou muito. Eu queria saber como fazem com os pertences pessoais e dinheiro enquanto estão na água ou praia. É seguro deixa-los na barraca?

    • Camila Trindade disse:

      Oi Samantha, muito obrigada!! Desculpa a demora para responder, eu estava viajando. Até não acho que seja muito perigoso, mas é sempre bom não dar bobeira né, nós levamos apenas o necessário de dinheiro, celular e a GoPro. Nós deixamos as coisas dentro da mochila, que colocamos na cadeira ou até mesmo na areia em alguns momentos quando fomos entrar na água, mas sempre ficamos de olho vendo se alguém chegava muito perto. Outra alternativa é verificar se não tem locker para deixar as coisas lá, quando eu fui não cheguei a procurar essa opção porque não senti necessidade e dava para vigiar as coisas estando dentro da água, mas talvez exista essa alternativa.

  5. Alex disse:

    Realmente incrível esse lugar, estou pretendendo ir em dezembro /18. Qual hotel vcs ficaram e qual recomendam?
    Abraço e parabéns pelo relato.

    • Camila Trindade disse:

      Oi Alex, obrigada! Desculpa a demora para responder, eu estava viajando. Aqui no blog tem um post geral sobre San Andrés com informações sobre os lugares onde me hospedei (Villa Sarie Bay e Pousada Bahia Sonora) com fotos e preços: https://planejandoviagens.com/san-andres/. Nenhum deles é muito bom, mas como é bem difícil achar boas opções de hospedagem na ilha o custo benefício dos lugares acabou sendo bom, pois o preço foi super baixo e a localização de um deles (Villa Sarie Bay) era quase boa, dava para caminhar até o centro. Para quem tiver um orçamento maior um hotel que parece ser bom é o Casablanca, comemos no restaurante de lá algumas vezes e a localização é ótima, mas o preço da diária desse hotel é bem mais alto. Mas se eu tivesse dinheiro sobrando acho que teria me hospedado lá haha.

  6. Junior disse:

    Muito boas suas dicas, grande valia, mas ficou uma dúvida. Nessa “briga” de barracas, como fizeram p marcar o lugar, já que passearam ao redor da ilha, e não perderem a barraca ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *